Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

Regime de Kadafi está chegando ao fim, diz Obama

Presidente americano afirma que revolta contra o ditadorda Líbia chegou a um 'caminho sem volta'

Agência Estado

22 de agosto de 2011 | 16h08

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou nesta segunda-feira, 22, que a situação na Líbia continua muito "fluida" e incerta, mas concluiu dizendo que a revolta chegou a um "caminho sem volta" e que o regime de Muamar Kadafi se aproxima do fim.

 

Veja também:

RADAR GLOBAL: Acompanhe ao vivo a situação na Líbia

PERFIL: Excêntrico e nacionalista, Kadafi chegou ao poder em 1969

VÍDEO: Líbios vão às ruas para celebrar notícia da queda de Trípoli

ESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia

VISÃO GLOBAL: A insustentável situação de Kadafi 

 

"Ainda há um grau de incerteza e também há elementos do regime que continuam representando uma ameaça, mas uma coisa está muito clara: o regime de Kadafi está chegando ao fim e o futuro da Líbia está nas mãos de seu povo", declarou Obama em comentários feitos na casa alugada por sua família em Massachusetts, onde passa férias.

 

Em tom de cautela, Obama disse que "por enquanto não há nada acabado", observou que "ainda ocorrem duros combates em algumas áreas" e insistiu em que Kadafi "ainda tem a oportunidade de conter o derramamento de sangue se ceder explicitamente o poder ao povo da Líbia e ordenar a suas tropas que deponham as armas pelo bem da Líbia".

 

Segundo ele, no entanto, a situação na Líbia chegou a um "caminho sem volta" nos últimos dias, depois de uma campanha de cinco meses de bombardeios liderada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

 

O presidente americano afirmou ainda que funcionários do governo "permanecerão em contato" com os rebeldes do Conselho de Transição Nacional e disse que "haverá grandes desafios pela frente".

 

Rebeldes líbios afirmam terem tomado o controle da maior parte de Trípoli depois de uma ampla ofensiva iniciada no fim de semana. Nesta segunda-feira, funcionários americanos afirmaram que o paradeiro de Kadafi é desconhecido. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.