Regime norte-coreano reitera ameaça de novos ataques contra Coreia do Sul

Pyongyang não aceitará as provocações do vizinho, que faz manobras com os EUA no domingo

Efe

26 de novembro de 2010 | 05h19

SEUL - O regime comunista da Coreia do Norte direcionou novas ameaças a Seul nesta sexta-feira, 26, ao assinalar que responderá "sem piedade" a qualquer provocação do país vizinho, dois dias antes do início das manobras militares conjuntas de Coreia do Sul e EUA no Mar Amarelo.

 

Veja também:

video TV Estadão: Roberto Godoy analisa nova crise coreana

blog Radar Global: Veja imagens do ataque norte-coreano

documento Arquivo Estado: O armistício de Pan-Mun-Jon

especial Infográfico: As origens do impasse na península coreana

lista Entenda a crise entre os dois países 

 

Em comunicado divulgado pela agência estatal KCNA, Pyongyang assegurou, com a habitual retórica bélica, estar "preparada para aniquilar" a Coreia do Sul se a sua soberania for violada.

"Daremos um exemplo firme e sem piedade a qualquer provocação à nossa dignidade e soberania", assinala o regime de Kim Jong-il, que lançou na última terça-feira um ataque sobre a ilha sul-coreana de Yeonpyeong, na fronteira marítima, que deixou quatro mortos e 18 feridos.

A troca de disparos de artilharia representa uma das disputas mais graves entre as duas Coreias desde o fim da Guerra da Coreia, entre 1950 e 1953.

Após o ataque, Coreia do Sul e EUA anunciaram que iniciarão no domingo quatro dias de manobras militares conjuntas nessa instável zona marítima, em meio a ameaças de Pyongyang.

Seul também reforçou a defesa nas ilhas do Mar Amarelo e anunciou um aumento em seu orçamento militar para 2011.

 

Saiba mais:

linkCoreia do Sul nomeia novo ministro da Defesa

O Ministério da Defesa solicitou que o orçamento extra seja de pelo menos 264 bilhões de wons (US$ 227 milhões), destinados a adquirir armamento como mísseis guiados e sistemas de radar antiartilharia, informou a agência local Yonhap.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.