Regime teria até 8 bombas

Em outubro de 2006, a Coreia do Norte anunciou que realizou um teste nuclear. Quase três anos depois, em maio de 2009, Pyongyang anunciou um segundo experimento atômico - segundo russos e sul-coreanos, da mesma magnitude das bombas americanas sobre o Japão na 2ª Guerra.

O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2012 | 03h03

Diferentemente de outras potências nucleares, o programa norte-coreano tem como base o plutônio, embora os EUA suspeitem que o país já tenha completado a transição para o urânio.

Em 2011, o cientista Abdul Qadeer Khan, o "pai da bomba atômica" do Paquistão, disse que Pyongyang subornou militares paquistaneses para ter acesso a segredos nucleares do país - Islamabad nega. Hoje, estima-se que a Coreia do Norte tenha de seis a oito bombas de plutônio e um número indeterminado de mísseis com alcance de 5 mil quilômetros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.