Mario Tama/AFP
Mario Tama/AFP

Regras e posicionamento de candidatos melhoram e indecisos puderam fazer sua escolha, diz analista

Professora da ESPM afirma que mediação da jornalista da NBC ajudou a conter Trump e Biden durante encontro

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2020 | 00h15

As regras mudaram, o posicionamento dos candidatos Donald Trump e Joe Biden foi diferente, o debate melhorou e quem estivesse indeciso teve condições de escolher seu candidatos nas eleições dos EUA, disse a professora de Relações Internacionais da ESPM, Denilde Holzhacker. Veja a entrevista.

Os eleitores indecisos conseguiram fazer uma escolha após o debate?

É possível sim que eles tenham conseguido. Foi um debate de propostas, de posições, com cada um dos candidatos colocando bem o seu estilo. Cada um conseguiu expor suas ideias e que linha o governo teria. De qualquer forma, é preciso lembrar que hoje o número de eleitores indecisos não é tão grande. 

O novo formato, com microfones dos candidatos desligados para que as respostas não fossem interrompidas, resolveu os problemas do primeiro encontro?

Acredito que melhorou muito e a condução da mediadora (a jornalista da NBC Kristen Welker) foi muito importante, com os apontamentos necessários e evitando que os candidatos fossem interrompidos mesmo quando os microfones estavam desligados. Além disso, Trump mudou seu estilo. Mesmo ainda agressivo, ele fez questão de ressaltar contrapontos do estilo de governar dele e o de Biden. As novas regras, a mediadora e a postura dos candidatos melhoraram o debate.

Qual foi o ponto forte de Trump?

Ele conseguiu defender melhor seu governo apontando quais foram os ganhos no período e também deixar claro a diferença nas posições dele e do Biden, em falas mais centradas em propostas e menos em ataques.

Qual foi o ponto forte de Biden?

Ele conseguiu se colocar muito bem em questões espinhosas feitas pelo Trump, como no caso do filho dele e também quando foi chamado de corrupto. Ele também fez um discurso olhando para o futuro, projetando como seria seu governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.