Reguladores pedem histórico das baterias do Dreamliner

Reguladores dos Estados Unidos disseram nesta quarta-feira que pediram à Boeing para liberar o histórico operacional de suas baterias usadas nos aviões 787 Dreamliner, após a companhia aérea japonesa All Nippon Airways (ANA) ter revelado que havia substituído repetidamente as baterias antes mesmo dos problemas de superaquecimento.

AE, Agência Estado

30 de janeiro de 2013 | 13h05

Os reguladores informaram que fizeram o pedido recentemente após ficarem sabendo dos problemas com que a ANA enfrentou com as baterias antes de um incêndio em uma delas em 7 de janeiro, que ocorreu em um 787 estacionado no Logan International Airport, em Boston. A Boeing já reuniu algumas das informações pedidas.

A ANA informou que havia substituído as baterias do 787 cerca de 10 vezes porque elas não carregavam adequadamente e que alertou a Boeing sobre o problema. A Japan Airlines também afirmou que já havia trocado as baterias do 787.

Todos os 50 aviões 787 da Boeing permanecem sem uso em todo o mundo após um voo da ANA ter sofrido um pouso de emergência em 16 de janeiro, quando sua bateria superaqueceu. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUABoeingbaterias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.