Rei da Jordânia dissolve Parlamento e convoca eleições

O rei Abdullah da Jordânia emitiu nodomingo um decreto dissolvendo o Parlamento e disse para ogoverno se preparar para eleições multipartidárias neste ano,disseram autoridades. Segundo as autoridades, o decreto que dissolve o Parlamentode 110 cadeiras, cujo mandato de quatro anos terminouformalmente em abril, e convoca eleições é um sinal claro deque o monarca não usará seu direito constitucional de adiar avotação. O governo deverá marcar a data da eleição nesta semana,provavelmente para novembro. Políticos conservadores exortaram o rei a adiar as eleiçõesporque temem que a oposição islâmica, que busca mudançapolítica através de meios pacíficos, tenha ganhos eleitoraisiguais aos de seus aliados ideológicos nos territóriospalestinos, no Egito e na Turquia. A última eleição, em junho de 2003, terminou com avanço domovimento islâmico depois de uma campanha dominada porpreocupações locais de candidatos tribais. A lei eleitoral daquela eleição usou um sistema de votaçãoque favorecia mais as estruturais tribais do que as cidadeshabitadas por palestinos, que são centros islâmicos e altamentepolitizadas. Isso deixou o Parlamento nas mãos de grupostribais, de centro e pró-governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.