Sana/AP
Sana/AP

Rei da Jordânia diz que regime sírio sofreu 'duro golpe'

Em entrevista à CNN, Abdullah II disse que as coisas no país vizinho estão ficando 'muito, muito complicadas'

AFP,

18 de julho de 2012 | 18h31

AMÃ - O rei Abdullah II, da Jordânia, disse nesta quarta-feira, 18, que o atentado ocorrido hoje na Síria contra instalações da Defesa em Damasco são um "duro golpe ao regime" do presidente Bashar Assad.

 

Veja também:

linkConselho de Segurança da ONU adia votação sobre Síria, diz Rússia

linkPara EUA, 'janela está se fechando' para a paz na Síria

linkAutoridades morrem em atentado na Síria

 

No ataque, realizado pela oposição de Assad, morreram três pessoas do alto escalão do governo: o chefe da unidade criada para combater a rebelião síria, Hassan Turkmani, o ministro e o vice-ministro da Defesa do país, Dawoud Rajiha e Assef Shawkat, respectivamente.

 

As declarações de Abdullah foram feitas à rede de TV americana CNN. "As coisas estão ficando muito, muito complicadas", disse o monarca.

 

Na opinião dele, o conflito no país vizinho chegou "a um ponto em que acredito que o pior dos cenários para todos nós na região é que ocorra uma guerra civil aberta". Abdullah disse que "não há volta do abismo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.