Rei da Jordânia promete eleição de gabinete

Pressionado, o rei Abdullah, da Jordânia, anunciou ontem que atenderá às demandas de um gabinete eleito, mas não deu um prazo e advertiu que tal mudança pode levar o "caos" ao país, que até agora não foi afetado pelos levantes em outros países árabes.

AP, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2011 | 00h00

Esta é a primeira vez que o rei aceita fazer tal concessão aos jordanianos, que recentemente têm tomado as ruas por mudanças políticas. Em um discurso na TV, o rei, que está há 12 anos no poder, disse que o gabinete será formado de acordo com a maioria parlamentar eleita. Ele também prometeu outras mudanças, sem dar detalhes, e disse que uma comissão está analisando possíveis emendas na Constituição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.