Rei da Jordânia se encontra com chefe do Hamas após 12 anos

O chefe do Hamas, Khaled Meshaal, fez sua primeira visita oficial à Jordânia e se reuniu com o rei Abdullah neste domingo, na primeira viagem à nação desde que o reino o expulsou há mais de uma década.

REUTERS

30 de janeiro de 2012 | 13h16

Meshaal estava acompanhado do príncipe do Catar, xeque Tamim bin Hamad al-Thai. A visita foi planejada antes da rebelião que irrompeu na Síria, onde o Hamas tem sua principal sede fora da Faixa de Gaza.

Tanto o Hamas quanto a Jordânia negaram que o movimento islâmico possa mudar sua sede de Damasco, para onde muitas de suas lideranças jordanianas se realocaram após serem expulsas do reino em 1999. O conflito sírio forçou o Hamas a tirar alguns de seus militantes e familiares do país.

"A conversa sobre a visita precedeu os eventos na Síria e não está relacionada", disse Izzat Risheq, autoridade sênior do Hamas.

Autoridades do Hamas e da Jordânia disseram que nenhum dos lados discutiu a reabertura do escritório do Hamas no país.

Fontes diplomáticas e de inteligência disseram que Meshaal, de 55 anos, baseado em Damasco desde 2011, abandonou efetivamente a sede, onde esteve relativamente seguro após um fracassado atentado de Israel contra sua vida, na década de 1990.

A Jordânia indicou que irá acomodar famílias da liderança baseada na Síria, muitas das quais são cidadãs da Jordânia, mas não vai tolerar atividades políticas em seu território.

Analistas e islamitas dizem que a visita recebeu impulso da turbulência regional, na qual movimentos islâmicos têm tido grandes ganhos políticos na região após as revoltas da "Primavera Árabe", particularmente na Tunísia e no Egito.

Meshaal disse esperar que seu encontro com o rei seja seguido por "outros capítulos de um forte relacionamento".

"O Hamas está preocupado com a segurança da Jordânia e sua estabilidade e nós respeitamos isso", disse ele.

Tudo o que sabemos sobre:
GERALJORDANIAHAMAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.