Rei da Tailândia perdoa suíço condenado por pichações

O rei Bhumibol Adulyadej da Tailândia perdoou um cidadão suíço que havia sido condenado a dez anos de prisão por insulto ao monarca.Oliver Jufer, de 57 anos, foi sentenciado em março, depois de admitir ter pichado cartazes com a imagem do rei, meses antes, na cidade de Chiang Mai.No julgamento, o juiz Phitsanu Tanbukalee disse que Jufer recebeu uma sentença reduzida porque admitiu a culpa.Acredita-se que Jufer seja o primeiro estrangeiro a ser preso por causa de um insulto ao rei, que está no trono há 60 anos. Outros foram acusados anteriormente, mas acabaram sendo deportados.Leis rígidasSegundo a polícia tailandesa, agora que Jufer recebeu o perdão real, ele também será deportado assim que possível.O caso foi uma rara ocasião em que as atenções se voltaram para as rígidas leis de lesa-majestade na Tailândia, que proíbem qualquer crítica à monarquia.Sua imagem é cuidadosamente administrada, e a mídia local pode apenas elogiar o rei.A reverência popular a Adulyadej é genuína, mas as leis draconianas impedem que a maioria dos tailandeses possa até mesmo discutir a monarquia.Analistas dizem que este ato de compaixão para com um estrangeiro só deve melhorar a imagem do rei.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.