Imprensa Real da Tailândia / AFP
Imprensa Real da Tailândia / AFP

Rei da Tailândia retira títulos de sua amante oficial por ela querer ocupar lugar da rainha

Monarca acusou Sineenat Wongvajirapakdi de ‘deslealdade’ menos de três meses depois de tê-la formalizado como sua ‘acompanhante real’

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2019 | 09h30

BANGCOC - O rei da Tailândia, Maha Vajiralongkorn, retirou nessa segunda-feira, 21, todos os títulos de sua amante em razão da “deslealdade” e “ambição” dela em ocupar o lugar da rainha, menos de três meses depois de ter formalizado a ascensão dela ao trono como sua “acompanhante real”.

Conhecida como Koi, a ex-guarda-costas real Sineenat Wongvajirapakdi, de 34 anos, recebeu seu título no dia 28 de julho para o aniversário de 67 anos do rei. Foi a primeira vez em quase um século que um monarca tailandês “oficializou” uma amante.

Poucos dias depois, o palácio real divulgou fotos de Koi com cabelo curto, uniforme de combate, manipulando armas, pilotando um avião de caça e pulando de paraquedas. As imagens mostravam um perfil incomum da vida privada do rei, conhecido também pelo nome de Rama X da dinastia Chakri.

‘Queda’ de Sineenat

Mas na noite de segunda-feira, a emissora oficial do país anunciou a “queda” de Sineenat. Ela foi retirada da posição de Chao Khun Phra - “acompanhante real” - por “deslealdade ao rei”, segundo um comunicado oficial, além de ter “agido contra a rainha Suthida para servir a suas próprias ambições”.

Os atos de Sineenat “demonstram que não honrou o rei e não compreende a tradição real”, diz a nota, acrescentando que ela havia tentado chegar ao mesmo cargo da rainha.

O comportamento “desrespeitoso” de Sineenat com relação à coroa “causou divisões na Corte (...) e desentendimentos entre o povo”, de acordo com a fonte. Sineenat perdeu ainda todos os seus títulos militares e condecorações.

A monarquia tailandesa

Nascida no dia 26 de janeiro de 1985, Sineenat Wongvajirapakdi se formou com 23 anos na Universidade Militar Real de enfermeiras e como piloto na Tailândia. Ela também alcançou o posto de general da divisão.

A monarquia tailandesa está protegida por rígidas leis contra a difamação e é quase impossível fazer comentários de forma pública ou na imprensa sobre seus membros. Rama X, que chegou ao trono em 2016, reforçou ainda mais a sua autoridade sobre essa questão. / AFP

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.