Cherna Moya/EFE
Cherna Moya/EFE

Rei espanhol renuncia a herança de origem ilegal

Felipe VI estava listado como beneficiário de duas fundações criadas por seu pai, a Zagatka e a Lucum, que estão sendo investigadas na Suíça

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2020 | 07h00

MADRI - O rei da Espanha, Felipe VI, renunciou na segunda-feira, 16, a qualquer herança que poderia receber pessoalmente de seu pai e antecessor no trono, Juan Carlos I, assim como a quaisquer bens, investimentos ou estrutura financeira cuja origem não esteja de acordo com a lei ou com os critérios de retidão.

O comunicado foi divulgado pela Casa Real espanhola no domingo, 15,  após a decisão do Ministério Público Anticorrupção iniciar uma investigação em que Felipe VI seria suposto beneficiário de uma empresa “offshore” criada por Juan Carlos e ligada a uma doação da Arábia Saudita.

A Casa Real respondeu a informações divulgadas no fim de semana pelo jornal britânico Telegraph sobre Felipe VI estar listado como beneficiário de duas fundações criadas por seu pai, a Zagatka e a Lucum, que estão sendo investigadas na Suíça.

No dia 3, o jornal Tribune de Genève informou que o Ministério Público suíço indicou que US$ 100 milhões (cerca de R$ 500 milhões) foram depositados em uma conta no Panamá por meio da fundação Lucum, da Arábia Saudita, e o único beneficiário seria Juan Carlos I. A descoberta surgiu durante investigação sobre propinas na licitação das obras da linha ferroviária de alta velocidade que liga as cidades árabes de Medina e Meca. / EFE 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Felipe VIEspanha [Europa]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.