Rei Gyanendra restaura Parlamento nepalês

O rei Gyanendra do Nepal anunciou nesta segunda-feira a restauração do Parlamento a partir da próxima sexta-feira. A ação era a principal reivindicação da aliança de sete partidos que tem liderado os protestos a favor da democracia. Em mensagem televisionada, Gyanendra apoiou também a convocação de eleições constituintes e a formação de um governo multilateral, como reivindicavam os partidos opositores. O rei também lamentou "as vidas perdidas" durante os últimos 19 dias de protestos. O monarca ofereceu suas condolências pelos mortos durante as semanas de protestos pró-democracia. "Estendemos nossas condolências sinceras para todos aqueles que perderam suas vidas no movimento popular". O discurso teve o objetivo de evitar um desfecho sangrento entre as forças de segurança e os centenas de milhares de manifestantes que paralisaram o Nepal durante três semanas de protestos. O Parlamento nepalês foi dissolvido em 2002 pelo rei, que em 1 de fevereiro de 2005 assumiu o poder absoluto. Mas, pressionado pela oposição, o monarca teve que renunciar a suas pretensões absolutistas na última sexta-feira, durante uma mensagem televisiva, que não foi bem recebida pela oposição. Desde então os protestos de oposição nas ruas do Nepal dobraram até que o rei aceitou as principais exigências dos manifestantes. Nesta segunda-feira mais de trinta pessoas ficaram feridas durante as manifestações contra o monarca, enquanto um ataque de rebeldes maoístas no centro do país deixou seis mortos.

Agencia Estado,

24 Abril 2006 | 16h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.