Reino Unido anuncia envio de 700 soldados ao Afeganistão

Militares ficarão no país durante eleições; sobe para 42 o número de insurgentes mortos em combates no país

Agências internacionais,

29 de abril de 2009 | 11h26

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, afirmou nesta quarta-feira, 29, que seu país aumentará o número de soldados no Afeganistão em 700 homens. Com isso, chegará a 9 mil o número de militares britânicos para acompanhar as eleições no país, previstas para 20 de agosto. Brown disse ao Parlamento britânico que os soldados extras ficarão em território afegão apenas para ajudar nas eleições e depois retornarão.

 

Pelo menos 42 supostos insurgentes morreram nesta quarta em várias ofensivas das tropas da coalizão liderada pelos Estados Unidos com o apoio das forças afegãs em três províncias do país, informou o comando militar americano. Na província de Uruzgan, as forças dos EUA e a polícia afegã patrulhavam o distrito de Tarin Kowt quando foram emboscadas por supostos taleban armados.

 

Os soldados dos EUA e os policiais abriram fogo, mas solicitaram "apoio aéreo". O bombardeio da aviação americana matou 23 fundamentalistas, segundo um comunicado do comando americano. Outra operação ocorreu no conflituoso distrito de Lashkar Gah, na província de Helmand, onde o Exército do Afeganistão e as tropas da coalizão "identificaram insurgentes armados que preparavam um ataque a partir de uma zona florestal". O comando militar americano assegurou que então ocorreram dois combates separados nos quais nove fundamentalistas morreram.

 

Os soldados apreenderam quase 100 quilos de ópio - a principal fonte de financiamento dos taleban - e 2.400 quilos de produtos químicos usados pelos insurgentes para fabricar explosivos. Horas antes, o comando já havia informado sobre a morte de outros dez supostos insurgentes em combates registrados na província de Logar.

 

Uma patrulha conjunta foi atacada por um grupo de homens armados com lança-granadas e rifles de assalto quando desenvolvia uma missão contra refúgios da insurgência no distrito de Baraki Barak. As tropas responderam ao ataque, mataram dez insurgentes e atacaram um refúgio taleban, onde detiveram dois suspeitos e acharam um arsenal de armas que decidiram destruir. Os enfrentamentos não deixaram baixas nas fileiras da coalizão, nas tropas afegãs ou entre civis, segundo a versão militar.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoEUAReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.