Reino Unido deve enviar mais 3 mil soldados ao Iraque

O secretário da Defesa britânico, Geoff Hoon, deve anunciar hoje o envio de uma força adicional de 3 mil soldados para o Iraque nas próximas semanas, de acordo com informações do site da BBC. O contingente deve ser deslocado de bases no Chipre e na Alemanha. Cerca de 10 mil soldados britânicos estão no Iraque, mas o envio de forças adicionais tem se mostrado uma necessidade devido ao crescente clima de insegurança no país.Ontem, o presidente dos EUA, George W. Bush, pediu ao Congresso uma verba adicional de US$ 87 bilhões para o Iraque e o Afeganistão, além de ter defendido uma participação internacional maior para assegurar a estabilidade no país.Asiáticos evitam maior envolvimentoO presidente dos EUA recebeu uma resposta morna na Ásia ao seu apelo. O Japão, que normalmente é um aliado dos propósitos norte-americano, acenou apenas com a continuação de ajuda humanitária. "O governo do Japão tem se mostrado disposto a ajudar e a contribuir com os esforços humanitários", disse o porta-voz do primeiro-ministro Junichiro Koizumi. Em plena campanha para se reeleger como chefe do partido governista, Koizumi tem encontrado dificuldades domésticas para apoiar os EUA em relação ao Iraque. Embora o premier tenha enviado uma lei pedindo autorização para que o Japão envie tropas para ajudar nos esforços de reconstrução das instituições iraquianas, as autoridades públicas japoneses continuam divididas sobre uma participação mais ativa. A preocupação central é sobre a situação de instabilidade no Iraque e a possibilidade de soldados japoneses morrerem no país, o que seria um desastre político para Koizumi. Desde que Bush declarou o fim da guerra, em 1º de maio, um número maior de norte-americanos tombaram no front iraquiano do que durante a guerra. No total, 287 norte-americanos morreram, sendo que 149 deles após o dia 1º de maio.Na Coréia do Sul, o Ministério de Relações Exteriores não divulgou resposta ao apelo de Bush, mas um funcionário informou que o país já enviou 675 soldados não-combatentes para ajudarem na reconstrução do Iraque. A primeira-ministra da Nova Zelândia, Helen Clark, informou que avaliará se o seu governo poderá enviar mais soldados ao Iraque, mas só no caso de a ONU ter um envolvimento maior no assunto. A Nova Zelândia já enviou equipes de engenheiros e especialistas em desativação de minas ao Iraque, além de grupos pacifistas para o Afeganistão e as Ilhas Salomon. A Índia, por sua vez, afirmou que só enviará tropas para o Iraque, se receber autorização da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.