Reino Unido diz que delator não é bem vindo no país

O governo britânico emitiu um alerta para as companhias aéreas em todo o mundo, no qual pede que não elas permitam que Edward Snowden, delator de programas secretos dos EUA, voe para o Reino Unido.

AE, Agência Estado

14 Junho 2013 | 04h09

O alerta, datado de segunda-feira, pede que as companhias neguem o embarque de Snowden, pois "é altamente provável que seja recusada a entrada do indivíduo no Reino Unido".

A Associated Press viu uma fotografia do documento tirada nesta sexta-feira em um aeroporto tailandês. Um diplomata britânico confirmou que o documento era autêntico e foi enviado às companhias aéreas em todo o mundo.

Snowden revelou documentos secretos sobre os programas de vigilância da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos e muitos acreditam que ele esteja em Hong Kong. Nenhum mandado de prisão foi emitido.

Ainda nesta sexta-feira, um popular jornal apoiado pelo Partido Comunista da China pediu que a liderança chinesa obtivesse mais informações de Edward Snowden, em vez de mandá-lo de volta para os EUA, já que suas revelações sobre os programas dos EUA são de interesse nacional para a China.

O jornal Global Times disse em editorial que o governo chinês não deve considerar apenas as relações de Pequim com os Estados Unidos, mas também a opinião pública. Segundo a publicação, a nação ficaria insatisfeita se Snowden fosse mandado de volta para os EUA.

Conhecido por opiniões nacionalistas, o jornal afirmou que Snowden poderia oferecer informações que podem ajudar a China a atualizar seu entendimento do ciberespaço.

Snowden alegou em uma entrevista a um jornal de Hong Kong que, dentre 61 mil alvos de Agência de Segurança Nacional dos EUA em todo o mundo, estão centenas de pessoas em Hong Kong e na China continental. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
reino unidodelator

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.