Reino Unido e Irlanda apresentam planos para o Ulster

Os Governos do Reino Unido e da República da Irlanda apresentaram nesta quinta-feira um plano econômico "inovador" para o Ulster (Irlanda do Norte) com o objetivo de reforçar a cooperação entre o norte e o sul da ilha, enquanto se aproxima o momento da formação de um Executivo autônomo norte-irlandês.A iniciativa pretende complementar os conteúdos políticos do "mapa do caminho" de Londres e de Dublin, e impulsionar o processo de paz conhecido como "acordo de Saint Andrews".A meta do acordo é restaurar, em 26 de março de 2007, a autonomia da província, suspensa desde outubro de 2002.Nas recentes negociações de paz realizadas em Saint Andrews, na Escócia, os primeiros-ministros do Reino Unido, Tony Blair, e da Irlanda, Bertie Ahern, comprometeram-se em oferecer ao futuro Executivo de Belfast os recursos necessários para que ele funcione de forma plena.O novo documento identifica várias áreas de cooperação entre Dublin e Belfast, mas dá atenção especial ao desenvolvimento da infra-estrutura, da saúde, dos recursos energéticos e do comércio exterior na Irlanda do Norte.Os Governos da República da Irlanda e do Reino Unido acreditam que o "planejamento conjunto" contribuirá para o avanço econômico do Ulster, uma região castigada por mais de 30 anos de conflito entre suas duas comunidades principais, a nacionalista (católica) e a unionista (protestante).ProjetosEmbora o estudo não mencione projetos específicos, está previsto o investimento de até 100 bilhões de euros nos próximos dez anos, com o objetivo de melhorar a infra-estrutura da região.O plano pretende também estreitar as relações na área de pesquisa de desenvolvimento, com ênfase na apresentação de trabalhos conjuntos, para "aproveitar ao máximo" as ajudas econômicas da União Européia (UE).O ministro de Exteriores irlandês, Dermot Ahern, afirmou nesta quinta-feira que a "competitividade em escala global" da ilha passa pela "cooperação de todas suas instituições", sejam elas do norte ou do sul da Irlanda.O ministro para o Ulster britânico, Peter Hain, falou das oportunidades que a aplicação do plano de desenvolvimento econômico de Londres e Dublin podem trazer para a restauração das instituições autônomas norte-irlandesas.Ao mesmo tempo, a cooperação entre o norte e o sul é vista com desconfiança pelos partidos unionistas - defensores em manter a união com a Coroa Britânica -, que acreditam que o envolvimento de Dublin nos assuntos da província é um dos primeiros passos para a unificação da ilha.Neste sentido, o moderado e nacionalista Partido social-democrata e Trabalhista (SDLP) disse nesta quinta-feira que os unionistas "não têm nada a temer".O vice-líder do partido, Alasdair McDonnell, afirmou que o fato de a região "não se beneficiar do espetacular crescimento econômico conseguido pela República da Irlanda nos últimos dez anos é absurdo"."Não tem nenhum sentido haver um ´boom´ econômico em Dublin enquanto a 100 milhas de distância, em Belfast, nós sofremos uma crise econômica", apontou McDonnell.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.