Reino Unido e Irlanda negociam com rebeldes do IRA, diz vice irlandês

Martin McGuiness revela que países pedem fim da luta armada; governos negam afirmações

Agência Estado e Associated Press

12 de agosto de 2010 | 12h56

DUBLIN - Os governos da Irlanda e do Reino Unido realizam negociações secretas com dissidentes do Exército Republicano Irlandês (IRA, na sigla em inglês) na expectativa de persuadi-los a abandonar a violência, disse nesta quinta-feira, 12, o vice-primeiro-ministro da Irlanda do Norte, Martin McGuinness.

 

McGuinness é membro do partido Sinn Fein, ex-comandante do IRA e o mais graduado católico no governo compartilhado da província. A afirmação foi imediatamente negada pelos dois governos.

 

O Reino Unido e a Irlanda afirmam publicamente que é inútil conversar com grupos dissidentes do IRA, que continuam a realizar ocasionalmente ataques com armas e bombas na Irlanda do Norte, em um esforço para prejudicar a coalizão católico-protestante.

 

McGuinness, porém, disse ter certeza que os dois governos estão conversando com representantes dos dissidentes apesar de negarem o fato. "Eu entendo que os governos digam que não é verdade, que não está acontecendo e que eles têm todo tipo de mecanismos e frases para encobri-los", afirmou à BBC em Belfast.

 

O IRA é um grupo que faz campanha para que a Irlanda do Norte rompa a união com o Reino Unido e se torne parte da República da Irlanda. Em 2005, o grupo entregou as armas, mas facções dissidentes ainda realizam ataques contra as autoridades.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAIrlandaReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.