Reino Unido em alerta após 7 cartas-bomba em semanas

A polícia britânica pediu nesta quarta-feira que indivíduos e empresas tenham cuidado extra ao lidar com a correspondência, alertando que sete cartas-bomba deixaram seis feridos nas últimas três semanas no Reino Unido.O aviso foi feito após a explosão de um novo pacote com explosivos nesta quarta-feira em uma agência que administra os registros de motoristas e automóveis na cidade Swansea, no País de Gales. Este foi a terceira carta-bomba a explodir na Grã-Bretanha nos últimos três dias. Três funcionárias da Agência de Licenciamento de Veículos e Motoristas (DVLA, na sigla em inglês) ficaram levemente feridas no incidente. Causando grande preocupação entre a população britânica, os artefatos desta semana foram todos endereçados a organizações relacionadas à administração do tráfego de veículos no país. A polícia acredita que haja relação entre eles.O secretário de Interior britânico, John Reid, descreveu os ataques como "preocupantes". O Chefe Assistente da Polícia Anton Setchell, que é responsável pela luta contra o terrorismo doméstico britânico, foi apontado para coordenar as investigações. Segundo reportagens publicadas pela mídia britânica, a carta-bomba desta quarta-feira levantou suspeitas de que um motorista irritado possa estar por trás das explosões dos últimos três dias. Os ataques de segunda e terça-feira atingiram escritórios ligados a empresas envolvidas com radares e multas de trânsito, respectivamente.O novo incidente soma-se a uma quarta explosão ocorrida no sábado, mas que só foi revelada nesta quarta-feira. O ataque, registrado na cidade de Folkestone, no sudeste da Inglaterra, deixou um homem de 53 anos levemente ferido. Além disso, outras três cartas-bomba foram enviadas a companhias na área de Oxfordshire (sul da Inglaterra) e de West Midlands (centro inglês) no mês passado. Aparentemente, esses quatro casos não estão relacionados com os três ataques desta semana.Apesar das especulações, Reid pediu tempo para a conclusão das apurações. "É importante que possamos permitir à polícia seguir com sua investigação sem especulações impróprias", disse ele em comunicado.A carta-bomba de terça-feira explodiu no escritório da empresa de serviços financeiros Vantis, num centro empresarial de Berkshire, sul da Inglaterra, ferindo dois homens. Segundo os jornais, o pacote estava endereçado à Speed Check Services, empresa que fornece câmeras de vigilância de trânsito à polícia. A correspondência acabou sendo entregue ao escritório de contabilidade da firma. Na segunda-feira, uma mulher ficou ferida após abrir outra carta-bomba, enviada à sede da empresa londrina Capita, responsável pela administração do pedágio urbano do centro da capital, com o qual contribuem 25 milhões de usuários por ano.Texto ampliado às 13h49

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.