JUSTIN TALLIS/AFP
JUSTIN TALLIS/AFP

Reino Unido envia por engano deportação a 100 cidadãos europeus

Notícia veio à tona quando as autoridades tiveram de se desculpar pelo incidente

O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2017 | 20h32

LONDRES - O ministério britânico do Interior enviou por engano avisos de deportação a cem cidadãos da União Europeia (UE), informaram nesta quarta-feira, quando as autoridades precisaram se desculpar pelo incidente.

Eva Johanna Holmberg, uma historiadora finlandesa da Universidade Queen Mary de Londres e casada com um britânico, foi uma das pessoas que recebeu o alerta na semana passada.

A carta alertava que, se não saísse do país em um mês, o ministério teria de dar diretrizes para remoção, qualificando-a de "pessoa suscetível de detenção de acordo com a Lei de Imigração". 

"Não podia acreditar no que estava vendo", disse à BBC nesta quarta-feira Holmberg, que vive há anos no Reino Unido. Ela disse ter contatado um advogado para perguntar se poderia apelar de uma deportação.

Após o escândalo provocado por seu caso, o Ministério do Interior viu-se forçado a se desculpar na quarta-feira pelo engano.

"Falamos com a senhora Holmberg para nos desculpar por isso e garantir que pode permanecer no Reino Unido", afirmou o ministério em um comunicado.

Segundo um porta-voz, foram enviadas cem cartas deste tipo. "Estamos contatando cada pessoa que recebeu a carta para esclarecer que a podem ignorar", explicou. "Está completamente claro que os direitos dos cidadãos [de países] da UE que vivem no Reino Unido permanecem inalterados."

Londres negocia com a União Europeia o futuro status dos cidadãos da comunidade que vivem no Reino Unido e dos britânicos que moram na UE depois do Brexit (a saída do bloco europeu).

A imigração foi um dos principais temas na campanha em favor da saída do Reino Unido da UE, e a primeira-ministra Theresa May prometeu limitar o número de cidadãos europeus que passam a residir em território britânico.

"Isso é algo vergonhoso", disse James McGrory, líder do grupo Open Britain, favorável à UE. "Há poucas dúvidas de que muitos cidadãos europeus se preocuparão com o futuro estatuto no Reino Unido quando ouvirem falar de pessoas que têm todo o direito a estar aqui e recebem cartas, ameaçando-as com a deportação", disse. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.