Reino Unido investigará declarações de Berezovsky

A polícia de Londres informou nesta sexta-feira, 13, que abriu uma investigação para analisar se os comentários do empresário russo Boris Berezovsky sobre um plano para derrubar o presidente Vladimir Putin constituem algum tipo de delito. A Scotland Yard fez o anúncio depois de vir à tona uma entrevista em que o bilionário disse estar financiando um golpe para depor Putin. Segundo membros do governo britânico, caso as autoridades concluam que Berezovsky cometeu um crime, seu status de refugiado poderá ser revogado. A decisão da polícia veio depois de a Rússia anunciar a abertura de uma investigação criminal contra Berezovsky. Também nesta sexta-feira, o chanceler russo, Sergei Lavrov, disse que Moscou pedirá que Londres cancele o status de refugiado do empresário.Caso isso ocorra, Berezovsky poderá ser extraditado para a Rússia, onde é acusado por diversos crimes. O empresário é um dos maiores desafetos de Putin."Precisamos usar a força para mudar o regime", disse Berezovsky em entrevista ao jornal britânico The Guardian. Para o diário, os comentários podem complicar as relações entre Reino Unido e Rússia. "É impossível mudar o regime através de meios democráticos. Não pode haver mudança sem força, pressão", acrescentou o empresário, cuja fortuna está estimada em mais de US$ 1,7 bilhão.A grande repercussão do caso logo gerou uma reação por parte de Berezovsky. Na tarde desta sexta-feira, seu escritório divulgou um comunicado em que o empresário tentou reiterar alguns pontos da entrevista. Segundo a nota, ele defende uma mudança de regime, mas rejeita qualquer forma de violência. No entanto, agências de notícias publicaram nesta sexta-feira novas declarações do empresário que podem complicar sua situação. Segundo a Bloomberg, Berezovsky colocou mais fogo na fogueira: "Estou pedindo uma revolução, e revoluções são sempre violentas." Já de acordo com a Associated Press, o magnata acrescentou: "Eu não sei como vai acontecer, mas os regimes autoritários só entram em colapso pela força."As declarações de Berezovsky vêm pouco antes das eleições parlamentares russas, marcadas para dezembro. Em 2008, o país passará por uma crucial eleição presidencial, da qual Putin prometeu não participar.Reação britânicaSegundo o governo britânico, "a polícia examinará declarações feitas ao Guardian e em qualquer lugar".A chancelaria britânica acrescentou: "Nós rejeitamos qualquer pedido por uma deposição violenta de regimes de quaisquer Estados soberanos. Esperamos que qualquer pessoa que viva, trabalhe ou visite o Reino Unido, qualquer que seja seu status, obedeça as nossas leis. Nós analisaremos com cuidado essas e qualquer futura declaração de Berezovsky sob essa ótica."Essa não é a primeira vez que o governo britânico tem problemas com o empresário, situação que pode prejudicar a relação entre o Reino Unido e a Rússia. No ano passado, Berezovsky já tinha dito a uma rádio russa que queria tirar Putin do Kremlin pela força. Na ocasião, o então ministro de Relações Exteriores britânico, Jack Straw, advertiu o empresário de que ele poderia perder sua condição de refugiado político. Fúria russaNa Rússia, o promotor-geral, Yury Chaika, disse que Moscou pedirá novamente às autoridades britânicas a extradição do magnata. Representantes da promotoria enviarão o pedido internacional para a extradição na segunda-feira, 16. Com a medida, o governo britânico será obrigado a dar sua posição oficial sobre as declarações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.