Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Reino Unido pressionará Afeganistão por solução diplomática

Segundo jornal 'The Guaridan', secretário de Defesa vai pedir mais esforços pelas negociações com o Taleban

Efe,

10 de março de 2010 | 10h30

O ministro de Assuntos Exteriores do Reino Unido, David Miliband, pedirá ao Afeganistão que se dedique mais à busca das negociações de paz com os insurgentes do Taleban, segundo notícia publicada nesta quarta-feira, 10, no jornal britânico The Guardian. O pedido de Miliband será feito nesta quarta, durante visita aos EUA.

 

Mais sobre o Afeganistão:

linkParte das tropas pode deixar o Afeganistão mais cedo, diz Gates

linkIrã tem 'planos inovadores' para solucionar conflito afegão

linkGates adverte sobre 'duros confrontos' no Afeganistão

 

"É hora de os afegãos buscarem um acordo político com tanto vigor e energia como os que depositamos nas áreas militar e civil" do país, dirá Miliband em seu disrcuso no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), conforme adiantou o Guardian. "Os próprios afegãos devem liderar e impulsionar esse compromisso político. Será um processo gradual, e os insurgentes vão querer ver apoio internacional", afirmará o britânico.

 

Em janeiro, o presidente afegão, Hamid Karzai, apresentou um plano de reconciliação nacional em uma conferência especial para o país realizada em Londres. De acordo com o projeto de Karzai, seria realizada uma loya jirga - reunião de conselheiros das várias lideranças do país - para a qual os taleban seriam convidados.

VEJA TAMBÉM:
especial Especial: 30 anos de violência

 

De acordo com fontes britânicas, líderes taleban estariam dispostos a negociar um acordo político a partir do qual romperiam seus vínculos com a rede terrorista Al-Qaeda e abandonariam as armas em troca de sua participação na política afegã. Enquanto o governo se disse convicto de que alguns insurgentes se mostraram interessados, outros rebeldes refutaram imediatamente e disseram que a única solução é a retirada incondicional das tropas internacionais do país.

 

Em Londres, são considerados preocupantes a perda de oportunidades para a abertura de um diálogo preliminar e o fato de o conflito, no qual já morreram 270 britânicos, ter se intensificado por culpa da ineficácia e da corrupção afegãs.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoReino UnidoKarzaiTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.