Reino Unido revê medidas de segurança nos aeroportos

O Reino Unido suavizará as medidas de segurança impostas aos aeroportos depois que o suposto plano terrorista para derrubar aviões em pleno vôo foi frustrado no último dia 10, afirmou neste domingo o ministro de Comércio e Indústria, Alistair Darling."Espero que nos próximos dias possamos afirmar que o sistema é razoável e proporcional" em relação ao nível do alerta antiterrorista, disse Darling em entrevista à emissora pública britânica BBC.O ministro adiantou que o titular de Transporte, Douglas Alexander, vai reunir-se com responsáveis da empresa de gestão aeroportuária BAA para encontrar uma solução durante a "próxima semana". Darling fez tais declarações depois de a companhia irlandesa Ryanair, primeira empresa aérea de vôos baratos da Europa, ameaçar, nesta sexta-feira, processar o governo se ele não atenuar as medidas de segurança nos aeroportos em até uma semana.Caos nos aeroportosEm 10 de agosto, o governo impôs estritas normas de segurança aos aeroportos, depois que a polícia abortou uma suposta conspiração terrorista para explodir aviões durante o vôo entre o Reino Unido e os Estados Unidos com substâncias líquidas.A decisão provocou caos nos aeroportos, principalmente nos de Londres, que tiveram que cancelar mais de mil vôos, além dos vários atrasos. Em seguida, quando o nível de alerta terrorista foi reduzido, o Executivo suavizou a segurança, mas esta continua sendo mais rigorosa que no restante da Europa, já que a bagagem de mão deve ter o tamanho de uma bolsa de computador portátil e os líquidos que podem subir a bordo são limitados.Darling admitiu que "houve muitos problemas durante a última semana" como conseqüência do reforço da segurança, mas ressaltou que é importante encontrar o "equilíbrio correto" entre as exigências de segurança e as necessidades do passageiro.O ministro também desmentiu algumas informações referentes à possível adição de uma nova taxa aos bilhetes de avião para custear a melhora da segurança nos aeroportos. "O custo da segurança é bancado pela indústria da aviação. Sempre foi assim e isso continuará", afirmou Darling.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.