Reino Unido simulou ataque ao Irã em 2004, diz jornal

Militares britânicos participaram de um exercício de manobras organizado pelos Estados Unidos com vistas a uma possível invasão ao Irã, revelou hoje o jornal britânico "The Guardian". As manobras, batizadas de "Hotspur 2004", aconteceram na base americana de Fort Belvoir, na Virgínia, em julho de 2004, pouco mais de um ano depois de o presidente americano, George Bush, dar por encerrada a guerra no Iraque. Um porta-voz do Ministério da Defesa do Reino Unido citado pela publicação minimizou a importância dos exercícios ao destacar que os mesmos "são feitos para testar os agentes em situações-limite em cenários fictícios". "Usamos países e situações inventados com o emprego de mapas reais", acrescentou. A simulação, centrada no Mar Cáspio, previa uma invasão no ano de 2015. Embora os organizadores tenham explicado que o exercício foi baseado em um país imaginário do Oriente Médio chamado Korona, as fronteiras correspondiam exatamente com as do Irã, segundo o "The Guardian". A revelação da participação do Reino Unido nessas manobras vem à tona uma semana depois de a tensão internacional aumentar por conta do polêmico programa nuclear iraniano. A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, assegurou na quarta-feira que as Nações Unidas deveriam considerar a adoção de "medidas fortes" contra o Irã dentro do Capítulo VII da Carta da ONU. Por sua vez, o ministro britânico de Assuntos Exteriores, Jack Straw, reiterou várias vezes que uma invasão ao Irã é inconcebível e que seu país é a favor de uma solução diplomática para o conflito.

Agencia Estado,

15 Abril 2006 | 07h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.