Reino Unido sinaliza mudança na política externa

Para titular da Secretaria de Desenvolvimento Internacional, Douglas Alexander, força de uma nação deve ser medida pelo que ela pode construir

BBC

13 Julho 2007 | 02h34

O governo do novo primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, sinalizou na quinta-feira uma sutil mudança de ênfase em sua política externa.No primeiro discurso de um dos novos ministros britânicos fora do país, o titular da Secretaria de Desenvolvimento Internacional, Douglas Alexander, disse em Washington que no século 21 as nações deveriam seguir o estado de direito internacional, em vez de ser governadas por interesses especiais.Alexander disse ainda que a força de uma nação deveria ser medida não pelo que pode destruir, mas pelo que pode construir.Ele afirmou que é tempo de formar novas alianças, baseadas em valores comuns, que respeitem organismos internacionais, e disse que o isolacionismo "simplesmente não funciona em um mundo interdependente"."Não há segurança ou prosperidade em casa a não ser que possamos lidar com os desafios globais de segurança, globalização, mudanças climáticas, doenças e pobreza", disse. Alexander disse ainda que é necessário "dar mais poder às mulheres" para lutar contra problemas como mortalidade infantil e materna e a disseminação da Aids.O discurso de Alexander foi feito no momento em que a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos desafiou uma ameaça de veto do presidente George W. Bush e aprovou um projeto de lei que prevê a retirada da maior parte das tropas americanas do Iraque até abril do ano que vem.Segundo o correspondente da BBC James Westhead, em Washington, esse discurso parece distanciar a Grã-Bretanha do governo Bush."Alguns observadores interpretaram isso como uma crítica velada a um presidente visto por alguns como arbitrário e unilateral", disse o correspondente.No entanto, Alexander disse à BBC que Brown está comprometido com um diálogo forte e eficaz com o presidente Bush.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.