Rejeição à guerra do Iraque registra novo recorde nos EUA

A rejeição dos americanos à forma como o presidente George W. Bush conduz a guerra do Iraque registrou um novo recorde, segundo uma enquete feita para a rede de televisão CNN, que foi divulgada nesta terça-feira.A pesquisa, feita entre sexta-feira e domingo pela empresa Opinion Research Corp., apontou que o apoio a Bush em relação ao conflito caiu para 28%.A CNN afirmou que 70% dos consultados, um número recorde, disseram que desaprovam a gestão da guerra por parte de Bush. Numa enquete anterior, em outubro, o nível de desaprovação tinha sido de 64%.Em geral, a aprovação do governo Bush é hoje de 36%, um ponto percentual abaixo do nível da enquete da CNN no início do mês, disse a rede de televisão.Embora 67% dos consultados tenham se mostrado contra a guerra, só 54% defenderam uma retirada das tropas imediata ou durante o próximo ano. Consultados sobre a possibilidade de uma vitória no Iraque, 48% disseram que acreditam, e 50% que não.Metade dos entrevistados afirmou que o resultado mais provável da guerra será uma estagnação da situação.O Pentágono admitiu na segunda-feira que os ataques a tropas americanas, às forças de segurança e a civis iraquianos registraram um aumento brusco durante os últimos três meses em comparação com o trimestre anterior.O aumento da violência no Iraque foi anunciado num relatório trimestral dirigido ao Congresso no mesmo dia em que Robert Gates assumiu formalmente como secretário de Defesa, substituindo Donald Rumsfeld, cuja gestão na guerra foi duramente criticada.O Pentágono informou que de meados de agosto a meados de novembro a média semanal de ataques aumentou 22% em comparação com os três meses anteriores, de 784 para 959.A enquete da CNN ouviu 1.019 adultos e a margem de erro é de mais ou menos três pontos percentuais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.