Relação com a imprensa tem sido turbulenta

A prefeitura de Copiapó reforçou o policiamento perto das casas dos mineiros por causa da presença de jornalistas. No dia em que os três primeiros tiveram alta do hospital, jornalistas perseguiram um dos mineiros. A hora de liberação dos demais, todas no fim de semana, foi mantida em sigilo. "Na mina, podiam, desconectar a câmera e o telefone, se quisessem. Aqui fora, todo mundo acha que tem direito a eles", disse Alberto Iturra, psicólogo do grupo. Quando o jornal espanhol "El País" pediu uma entrevista com Florencio Ávalos, o primeiro a ser resgatado, sua mulher disse: "Quanto vocês me oferecem? Nada? Então não vou continuar perdendo tempo com vocês, tenho muitos pedidos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.