Relação com os EUA precisa ser reconstruída, diz Merkel

A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou nesta segunda-feira que a relação entre a Alemanha e os Estados Unidos, assim como o futuro de um acordo transatlântico de livre comércio, foram "colocados à prova" a partir de alegações que envolvem espionagens da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês) - o que inclui o monitoramento do telefone celular da líder alemã.

AE, Agência Estado

18 de novembro de 2013 | 18h08

"As alegações são graves. Eles (Estados Unidos) precisam ser investigados e, ainda mais importante para o futuro, uma nova confiança precisa ser reconstruída", afirmou Merkel ao Parlamento alemão no começo de um debate sobre as espionagens norte-americanas na Alemanha.

Entretanto, Merkel moderou suas críticas ao declarar que a aliança com Washington "continua sendo uma garantia fundamental para nossas liberdade e segurança".

A necessidade de manter uma relação próxima com os Estados Unidos ao mesmo tempo em que responde à indignação pública sobre a espionagem norte-americana é um desafio para a chanceler, que trabalhou para minimizar o impacto das alegações que surgiram no final de outubro. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaMerkelEUAespionagemNSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.