Relatório aponta 317 presos políticos em Cuba

Um total de 317 pessoas estão presas em Cuba por motivos políticos, denunciou a ONG Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional (CCDHyRN). O número de encarcerados é pouco maior que os 315 listados em dezembro passado. "O fato de que não houve diminuição significativa no número total de presos dessa categoria expressa a posição de imobilidade e estancamento do governo", afirmou Elizardo Sánchez, dirigente da ONG, em seu informe semanal.Elaborado com base em informações fornecidas por familiares dos presos, o relatório destacou também que as autoridades não permitiram a entrada nas prisões nem das Nações Unidas, nem da Cruz Vermelha.Entre os 317 presos atualmente estão 84 pessoas listadas como presos de consciência pela organização Anistia Internacional, incluídos os 75 dissidentes detidos em uma operação realizada em março do ano passado. Segundo o CCDHyRN, a população carcerária total de Cuba é estimada entre 80.000 e 100.000 pessoas, num país com 11,2 milhões de habitantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.