Relatório dos EUA coloca Evo Morales em lista negra de vôos

O presidente da Bolívia, Evo Morales, está em uma lista elaborada pelos Estados Unidos para evitar que terroristas embarquem em aviões. Segundo o site do programa americano 60 Minutos, responsável pela divulgação da informação, trata-se de uma espécie de "lista-negra" da aviação, informou o website.Segundo a emissora, junto ao boliviano estão o ex-ditador iraquiano Saddam Hussein, o porta-voz do Parlamento Libanês, Nabih Berri, pessoas mortas e "nomes tão comuns, que são compartilhados por muitos passageiros inocentes". A lista, além disso, possui 44 mil pessoas, dentre as quais 14 dos 19 terroristas mortos nos ataques do 11 de setembro. Enquanto todos estes nomes estão contidos no documento, numa cópia de março obtida pela CBS, outros, de perigosos terroristas ou suspeitos de terrorismo, não estão. Como exemplo, a emissora cita os 11 suspeitos que tramavam seqüestrar um avião, presos em Londres, "apesar do fato de terem sido vigiados por mais de uma ano". Em depoimento ao programa, a ser televisionado pela CBS no próximo domingo, o ex-agente do FBI Jack Cloonan disse que a lista foi feita às pressas após o 11/09 e era falha."Eles basicamente fizeram um maciço despejo de dados e disseram, ´ok, para qualquer um que tenha nexo com o terrorismo, temos que ter certeza de que entre na lista´", disse em entrevista.Ainda de acordo com a emissora, o departamento de Segurança Doméstica não comentou o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.