Richard Drew/AP/Arquivo
Richard Drew/AP/Arquivo

Relatório médico confirmaria estupro de camareira, diz revista

Segundo 'L'Express', laudo descreveria ferimentos em mulher que acusou Strauss-Kahn de abuso

estadão.com.br,

16 de agosto de 2011 | 20h25

Atualizado às 23h59

 

PARIS - Um relatório médico divulgado pela revista francesa L'Express nesta terça-feira, 16, confirmaria que a camareira que acusou o ex-diretor-gerente do FMI Dominique Strauss-Kahn foi estuprada.

 

Nafisatou Diallo acusou Strauss-Kahn de violência sexual em maio. Ela trabalhava em um hotel de Nova York quando teria sido atacada pelo economista francês.

 

De acordo com a revista, médicos do hospital St. Luke's Roosevelt de Manhattan, em Nova York, teriam elaborado o relatório depois de atender a camareira no dia 14 de maio, data da suposta agressão. Eles teriam afirmado que ela foi vítima de estupro com base em exames.

 

Segundo o relatório dos especialistas, a mulher apresentava genitais avermelhados e queixava-se de dores nos ombros. Em um documento detalhado, eles escreveram que ela sofria de diversos ferimentos causados pelo estupro.

 

Na última página do relatório, os médicos descrevem a área vaginal da paciente, apontando "traumatismo na parte posterior", e indicando que a região estava avermelhada. E apontam como diagnóstico "agressão".

 

Nas conclusões, os médicos teriam escrito, segundo a L'Express, que a causa dos ferimentos seriam "agressão e estupro". O documento explica ainda que Diallo teria chegado ao hospital acompanhada de um policial e em uma ambulância, embora fosse capaz de caminhar sozinha.

 

Respostas

 

O advogado de defesa da camareira Kenneth Thompson concedeu entrevista à L'Express, na qual disse estar convicto de que a cliente teria sofrido agressão sexual.

 

Advogados de Strauss-Kahn refutaram o teor da reportagem. Segundo eles, o relatório dos médicos não menciona lesões provocadas por violência sexual e baseia-se quase totalmente na versão da acusadora.

 

Com Agência Estado e Efe

Tudo o que sabemos sobre:
EUAStrauss-Kahnlaudo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.