Relatório mundial de direitos humanos exclui EUA

O relatório aparece num momento em que os Estados Unidos são altamente criticados quanto ao cumprimento dos direitos humanos. Denúncias de detenção de suspeitos de terrorismo sem julgamento, abuso de tratamento dos detentos na Base de Guantánamo, e maus tratos a prisioneiros no Iraque estão sendo divulgadas pela imprensa do mundo todo. O estudo declara saber dos defeitos do país, e diz que "a luta dos EUA pela liberdade e justiça para todos tem sido longa e difícil, e está longe de estar completa". A introdução, feita pela secretária de Estado Condoleezza Rice, dá especial atenção a seis países onde infrações nos Direitos Humanos são mais severos. São eles: Coréia do Norte, Myanmar, Irã, Zimbábue, Cuba e China. O país mais criticado pelo relatório é a China, que teve o governo acusado de continuar cometendo inúmeros e sérios abusos, entre eles, medidas severas para controlar ainda mais a mídia e censurar conteúdo da Internet. Repressões na China aumentaram em 2005, assim como detenções e prisões de pessoas consideradas uma ameaça ao governo, afirmou o relatório anual de Direitos Humanos. Outros países Quanto ao Iraque, o anuário disse que o governo desrespeita todos os direitos humanos, e a população vive em meio ao terrorismo e rebeliões que impactam suas vidas em todos os aspectos. Aumentou também o número de assassinatos cometidos pelo governo ou motivamos por razões políticas. A Rússia é acusada de ter um governo corrupto e que pressiona a justiça. A Arábia Saudita infringe as leis de Direitos Humanos sancionando judicialmente punições corporais. Além disso, realiza prisões arbitrárias, detenções não comunicadas e nega julgamentos públicos justos. O Egito continua em estado de emergência, com denúncias de torturas e abusos de prisioneiros, e também de mortes em detenção. A eleição presidencial multipartidária ocorridas em setembro, apontada como um avanço em relação aos direitos humanos, foi caracterizada como fraudulenta. Emirados Árabes Unidos não possui eleições democráticas ou partidos políticos. Além disso, restringe os direitos à liberdade civil, liberdade de expressão e de imprensa, e filiação a grupos de direitos humanos. Já o Irã continua a cometer sérios abusos, como execução e desaparecimento de civis, tortura e punições severas como amputação de membros, e péssimas condições de prisão. Diversos problemas com Direitos Humanos também foram registrados no Paquistão, como tortura, execuções não autorizadas e estupros. Na web: Relatório completo Situação no Brasil

Agencia Estado,

08 Março 2006 | 18h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.