Relatório não culpa policiais pela morte de Jean Charles

O relatório da investigação sobre a morte em Londres do brasileiro Jean Charles de Menezes não culpa concretamente nenhum dos dez funcionários da Scotland Yard envolvidos na operação. É isso o que afirma hoje o jornal vespertino Evening Standard. Segundo a publicação, o relatório da Comissão de Queixas à Polícia, que não foi divulgado, não culpa ninguém em particular mas coloca "temas" que a Promotoria da Coroa deve estudar agora.Os dez funcionários poderão ter de responder por um delito criminoso se a Promotoria assim decidir, explica o jornal.No entanto, o fato de o relatório sugerir que não se pode culpar ninguém especificamente pela morte de Jean Charles aumenta as pressões sobre o comissário-chefe da Scotland Yard, Ian Blair, para que assuma a responsabilidade pela morte de um brasileiro inocente, acrescenta o Evening Standard.Acredita-se que o relatório revela uma série de erros e falsas suposições que levaram a Polícia a crer que Jean Charles, um eletricista de 27 anos, era um terrorista suicida.O brasileiro foi morto a tiros pela Polícia quando estava em um vagão do metrô de Londres um dia depois dos atentados fracassados de 21 de julho de 2005 contra essa rede de transportes.Jean Charles recebeu oito tiros - sete na cabeça e um no ombro - à queima-roupa de um policial vestido à paisana.A família de Jean Charles expressou na quinta-feira seu descontentamento pelo fato de as autoridades britânicas não terem permitido que ela veja o relatório da investigação sobre as circunstâncias de sua morte. Na manhã desta sexta feira o jornal britânico The Independent publicou uma matéria com informações conflitantes às divulgadas pelo jornal Evening Standard.De acordo com a reportagem do Independent, até 15 policiais britânicos poderão receber acusações formais pela morte de Jean Charles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.