Relatório sobre Guantánamo terá 6 meses de atraso

Um relatório-chave ordenado pelo presidente Barack Obama como parte de seu plano para fechar a prisão de Guantánamo terá um atraso de seis meses. Mas funcionários do governo insistiram que ele ficará pronto a tempo para fechar a detenção em janeiro, como prometeu o líder americano. Um grupo composto por representantes do Departamento de Estado, Justiça, Defesa, advogados especialistas em direitos humanos e representantes das forças de segurança estudam caso a caso o futuro dos detidos em Guantánamo (cerca de 240). Em cada caso se decide se o preso pode ser transferido a outro país ou será julgado em território americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.