Relatórios denunciam incompetência do governo iraquiano

Documento de ONGs revela ''''crise humana'''' no Iraque; para agência dos EUA, corrupção é ''''segunda insurgência''''

EFE, AP E REUTERS, O Estadao de S.Paulo

07 Julho 2031 | 00h00

Bagdá - Dois relatórios denunciaram ontem a incompetência do governo iraquiano, apoiado pelos EUA, e as conseqüências de suas deficiências para a população do país árabe. O primeiro, elaborado pela organização britânica Oxfam juntamente com uma coalizão de cerca de 280 ONGs iraquianas e internacionais, chama a atenção para a crise humana que atinge 8 milhões de iraquianos - e cujos desdobramentos seriam tão graves quanto a violência que tomou conta do país. De acordo com o documento, o governo iraquiano é incapaz de garantir a um terço da população o acesso a bens essenciais, como água, comida, saneamento básico e moradia. Como conseqüência, 28% das crianças iraquianas estão desnutridas (há quatro anos, eram 19%), 15% dos habitantes não conseguem suprir suas necessidades básicas de alimento e 70% não têm acesso a água potável.Já o segundo relatório foi assinado por Stuart Bowen, chefe dos inspetores encarregados pelo Congresso dos EUA de supervisionar os esforços de reconstrução do Iraque. Ele diz que a corrupção e a incompetência do governo iraquiano equivalem a uma "segunda insurgência" e minam as possibilidades de desenvolvimento econômico do país. "Em 95 projetos auditados encontramos falhas e desperdícios", disse Bowen. "O processo de transferência de recursos não está sendo feito de maneira adequada." Segundo o inspetor, desde 2003 os EUA destinaram US$ 44 bilhões para o esforço de reconstrução no Iraque, mas esses recursos não foram usados de maneira eficiente. Bowen, que deve comparecer hoje ao Legislativo americano para tirar as dúvidas dos parlamentares sobre as suas conclusões, citou o caso da usina Dora como prova da malversação de recursos. Apesar de US$ 90 milhões terem sido gastos na sua recuperação, a usina ainda não voltou a produzir energia elétrica para Bagdá. Ontem, a explosão de um carro-bomba matou 6 pessoas e feriu mais de 30 num bairro de maioria xiita do centro de Bagdá, acabando com a breve trégua nos conflitos decretada para comemorar a conquista da Copa da Ásia pela seleção iraquiana de futebol no domingo. RETIRADA EM 2009O comandante das tropas dos EUA no Iraque, general David Petraeus, afirmou que seu país deve manter um elevado número de soldados no país pelo menos até meados de 2009. Ele disse também "não acreditar" em versões da imprensa britânica de que a Grã-Bretanha esteja preparando uma retirada do Iraque.NÚMEROS >>28% das crianças estão desnutridas no Iraque, segundo um relatório da Oxfam>>80% dos habitantes não têm acesso a saneamento básico 15% não conseguemsuprir suas necessidades básicas de alimentação>>70% dos iraquianos não têm acesso a água potável

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.