Relatórios minimizam ameaça

Dois relatórios divulgados na terça-feira por importantes centros de estudos afirmaram que o risco apresentado pelo programa nuclear iraniano está sendo superestimado. Cientistas e engenheiros russos e americanos do Instituto East-West, de Nova York, concluíram que o Irã pode construir uma bomba nuclear em até 3 anos, mas levaria pelo menos 15 anos para desenvolver um míssil capaz de atingir os EUA e seus aliados europeus. O estudo afirma também que o escudo antimíssil que Washington pretende instalar no Leste Europeu não seria páreo para um eventual ataque iraniano.Em um relatório diferente, de 230 páginas, analistas da Rand Corporation, de Washington, revelaram que as políticas iranianas enfrentam obstáculos significativos em razão do isolamento diplomático do país, de erros estratégicos, de sua limitada capacidade militar e de divisões políticas. O estudo é resultado de uma pesquisa encomendada pela Força Aérea dos EUA em 2007. De acordo com a Rand, a política externa iraniana é movida mais por um nacionalismo antiquado do que pelo desejo de exportar sua ideologia revolucionária. O relatório afirma ainda que os principais problemas do Irã são equipamentos militares obsoletos e falta de pessoal. Teerã, segundo os especialistas, exerce menos poder sobre seus aliados - Hezbollah e Hamas - do que muita gente imagina.

LA TIMES, O Estadao de S.Paulo

21 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.