Relembre os principais casos de aviões comerciais abatidos em pleno voo

Relembre os principais casos de aviões comerciais abatidos em pleno voo

Se confirmado que o Boeing ucraniano foi mesmo derrubado por um míssil, o caso entraria em uma lista de tragédias semelhantes

Redação, O Estado de S. Paulo

10 de janeiro de 2020 | 07h00
Atualizado 10 de janeiro de 2020 | 12h31

Autoridades iranianas, em cooperação com americanos e ucranianos, investigam as causas da queda do Boeing 737 da Ukraine International Airlines. Uma das suspeitas é que o avião tenha sido derrubado por um míssil. No entanto, não seria a primeira vez que um voo comercial é abatido no ar. 

De acordo com a consultoria britânica Flightglobal Ascend, que mantém uma base da dados detalhadas de acidentes aéreos, desde 1967, mais de 700 pessoas foram mortas em 19 incidentes envolvendo ataques com disparos propositais. Durante a Guerra Fria, os casos eram mais comuns. Hoje, ocorrem principalmente em zonas de conflito. A seguir, uma lista das tragédias mais conhecidas.

EL AL, 1955

Um Lockheed L-149 Constellation da El Al, que ia de Viena para Tel-Aviv, entrou no espaço aéreo da Bulgária, no dia 27 de julho.  O piloto se recusou a aterrissar e foi abatido por dois caças MiG-15 pouco antes de ultrapassar a fronteira com a Grécia. Todas as 58 pessoas a bordo morreram.

LIBYAN AIRLINES, 1973

O Boeing 727 da Libyan Airlines voava de Trípoli para o Cairo, mas se perdeu no norte do Egito em razão do tempo ruim e de falhas no equipamento. O avião entrou por engano no espaço aéreo de Israel – que na época ocupava o Sinai – e acabou abatido por dois F-4 Phantom II da Força Aérea israelense. Das 113 pessoas a bordo, apenas 5 sobreviveram, incluindo o piloto.  

KOREAN AIR, 1983

Um Boeing 747 da Korean Air foi interceptado e abatido por caças Su-15TM depois de entrar por engano no espaço aéreo soviético. O Jumbo coreano vinha de Anchorage, no Alasca, rumo a Seul, na Coreia do Sul. Todos os 289 passageiros e tripulantes morreram.

 

IRAN AIR, 1988

Viajando de Bandar Abbas a Dubai, o voo 655 da Iran Air foi atingido por um míssil RIM-66 Standard lançado pelo USS Vincennes, da Marinha americana. O Airbus A300, que levava 290 pessoas, foi confundido com um F-14 da Força Aérea do Irã.  

TRANSAIR GEORGIA, 1993

Separatistas da Abkházia, território que luta pela independência contra a Geórgia, derrubaram um Tupolev Tu-154 da Transair Georgia, no dia 23 de setembro. O avião foi atingido por um míssil terra-ar – 108 dos 132 passageiros morreram.

MALAYSIA AIRLINES, 2014

No dia 17 de julho, um Boeing 777 da Malaysia Airlines, que ia de Amsterdã para Kuala Lumpur, foi derrubado por separatistas russos que lutavam contra forças ucranianas perto de Donetsk. Todos os 298 ocupantes morreram – incluindo 80 crianças. Quatro acusados estão sendo julgados à revelia na Holanda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.