Remédio causou mortes de 13 mulheres na Índia

Autoridades da Índia afirmaram neste sábado que as mortes de 13 mulheres que passaram por procedimentos de esterilização ocorreram em função de remédios adulterados. Segundo Amar Agarwal, secretário de saúde do Estado de Chhattisgarh, resultados preliminares mostram que os remédios foram contaminados com fosfato de zinco, que também é usado como veneno de rato. A contaminação aconteceu na fábrica que produziu os medicamentos, cujo dono já foi preso.

AE, Estadão Conteúdo

15 de novembro de 2014 | 11h45

Segundo outra autoridade, as autópsias realizadas nos corpos das vítimas não indicam falhas nos procedimentos cirúrgicos. O médico que realizou as cirurgias, R.K. Gupta, continua preso. Ele tem sido acusado de promover muitos procedimentos no mesmo dia, mas nega responsabilidade pelas mortes e atribui a culpa aos medicamentos. Mesmo assim, ele confessou que costumava realizar até dez vezes mais cirurgias por dia do que o indicado pelos protocolos do governo.

Na sexta-feira, a polícia prendeu o diretor da farmacêutica Mahawar Pharma, Ramesh Mahawar, e seu filho. Eles são acusados de fraudar as exigências feitas pela Administração de Drogas e Medicamentos. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Índiaesterilizaçãomortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.