Remoção de escombros levará 3 anos no Haiti, diz Préval

Levará três anos para que os escombros do devastador terremoto que atingiu o Haiti do dia 12 de janeiro sejam totalmente limpos, afirmou o presidente René Préval nesta segunda-feira. O líder do país confessou, durante entrevista, que sente medo de dormir sob o concreto, temendo novos tremores. Em uma rara entrevista, Préval disse que, após o processo de reconstrução, menos pessoas devem viver na capital, Porto Príncipe. "Serão necessários mil caminhões removendo entulho por mil dias, portanto serão três anos. E até retirarmos os escombros, não podemos construir."

AE-AP, Agencia Estado

16 de fevereiro de 2010 | 09h13

Na delegacia de polícia que serve como sede temporária do governo, Préval falou sobre as dificuldades para superar os problemas em um país já pobre. Sobre a eventualidade de a corrupção local ter interferido no esforço de ajuda, ele respondeu: "É possível que tenha havido irregularidades. Apesar disso", notou, "eu devo lembrar que o governo não gerencia diretamente a maior parte dessa assistência humanitária". Em muitos casos, prefeitos haitianos assumiram o controle sobre a distribuição de cupons de alimentos, por exemplo, com algumas denúncias de irregularidades.

O presidente, que tem mandato até o ano que vem, falou pouco a seu próprio povo nas semanas após o terremoto de magnitude 7,0 na escala Richter. Mais de 200 mil pessoas morreram na tragédia.

Desde então, Préval disse que tem morado com amigos, até que uma estrutura "leve, à prova de terremotos" possa ser construída para substituir sua casa. "Como você, eu temo ficar sob o cimento", confessou. Pelo menos 54 tremores secundários ocorreram na capital haitiana desde 12 de janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Haititerremotoescombros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.