Remoção do Costa Concórdia durará mais que previsto

Engenheiros começaram nesta segunda-feira a erguer e remover o cruzeiro Costa Concórdia de um recife no litoral da Toscana, a poucos metros da ilha de Giglio, na Itália, onde está naufragado desde janeiro do ano passado. Por se tratar de uma operação complicada, os trabalhos deverão demorar mais do que as 12 horas inicialmente previstas e terminar só amanhã.

AE, Agência Estado

16 Setembro 2013 | 15h27

Para retirá-lo do recife onde naufragou, a equipe precisa girar o casco em 65 graus. Após horas de trabalho, o movimento do Costa Concórdia era de apenas 10 graus. A operação deve continuar na terça-feira.

Segundo informou o engenheiro Sergio Girotto, responsável pela operação, o casco do navio não se moveu ao longo das três primeiras horas de trabalho da equipe. Os restos do navio encalhado só se deslocaram após o uso de um complexo de sistema de contrapesos de cerca de 6 mil toneladas.

Até agora, imagens transmitidas por câmeras robôs não conseguiram revelar qualquer sinal dos dois corpos desaparecidos desde o acidente, em janeiro do ano passado.

Trinta e duas pessoas morreram quando o navio de cruzeiro Costa Concórdia, transportando 4,2 mil passageiros, bateu em um recife e naufragou em janeiro de 2012. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ItáliaCosta Concórdia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.