Renúncia de Barak vai facilitar união nacional

A renúncia do atual primeiro-ministro Ehud Barak no Partido Trabalhista e sua recusa em participar do novo governo favorecerão a criação de um gabinete de união nacional, afirmou hoje um porta-voz do primeiro-ministro eleito, Ariel Sharon. "Nós não entramos nos assuntos internos do Partido Trabalhista e Barak era o candidato preferido de Sharon para a pasta da Defesa, mas esperamos que sua renúncia favoreça a criação de um gabinete de união nacional", disse Raanan Gissin, porta-voz de Sharon. "Continuaremos nossas conversações com os trabalhistas e esperamos que agora a colizão fique mais fácil", acrescentou.Em uma carta enviada ao secretário geral do Partido Trabalhista, Ehud Barak desistiu ontem de ocupar o cargo de ministro da Defesa na gestão do direitista Ariel Sharon, líder do Partido Likud, que derrotou na eleição para primeiro-ministro no dia 6 e irá ocupar seu lugar assim quer formar uma coalizão de governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.