Renúncia de chefe do Parlamento é a 1ª em 300 anos

O trabalhista Michael Martin é o primeiro presidente da Câmara dos Comuns a renunciar desde 1695, ano em que Sir John Trevor foi destituído após denúncias de que ele teria aceitado dinheiro para aprovar uma lei. Em meados do século 16, era comum que os ocupantes do cargo fossem decapitados após a descoberta de irregularidades. Martin tornou-se, assim, um dos poucos a deixar o posto sem perder a cabeça.O cargo existe desde o século 14 e uma de suas principais tarefas é representar os legisladores em discussões com a rainha Elizabeth II e a Câmara dos Lordes. Entre as obrigações do presidente também estão a manutenção da ordem durante os debates e a decisão de quais legisladores farão discursos. Sua posição é vista como imparcial e independente do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.