Renúncia de Mubarak inicia transição, diz Obama

O presidente Barack Obama disse que a renúncia de seu homólogo egípcio Hosni Mubarak é o início, e não o fim, da transição para a democracia no Egito. Ele também declarou que o Egito inspirou o mundo "com a força moral da não-violência" e que "o mundo está vendo uma nova geração emergir no Egito".

AE, Agência Estado

11 de fevereiro de 2011 | 18h37

Falando mais de quatro horas após a saída de Mubarak, Obama declarou que o antigo líder egípcio respondeu à sede de seu povo por mudanças. Mas advertiu que ainda haverá dias difíceis para o país, que luta para a realização de eleições livres e justas. O presidente norte-americano afirmou também que seu país vai fornecer "toda a assistência necessária ao Egito".

As três décadas de governo autoritário de Mubarak se encerraram hoje quando ele entregou o poder aos militares, após 18 dias de protestos nas ruas do país que pediam sua saída. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoEUAObamaMubarak

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.