Renúncia deve acirrar crise na Irlanda do Norte

O primeiro-ministro da província britânica da Irlanda do Norte (Ulster), David Trimble, passa hoje seus últimos momentos como líder do governo de coalizão na Irlanda do Norte, onde católicos e protestantes continuam atacando-se mutuamente em um sinal de agravamento das tensões entre os lados. Antes de sua renúncia formal, esperada para a meia-noite de hoje, Trimble embarcou para a França para passar o feriado. Sua renúncia, anunciada já em maio, dará aos partidos rivais na Irlanda apenas seis semanas para negociar um novo compromisso de governo.Antes de embarcar, Trimble indicou o ministro do Comércio, Reg Empey, para assumir provisoriamente seu lugar na chefia do governo a partir de amanhã. A decisão abre uma séria crise no governo autônomo da província e pode comprometer o processo de paz justamente no momento em que começa a temporada de marchas dos protestantes para rememorar suas vitórias sobre os católicos há centenas de anos.A polícia e o Exército reforçaram hoje seu contingente em Belfast para evitar enfrentamentos das duas comunidades durante o primeiro desfile, o da Ordem de Orange em Belfast, hoje. A marcha celebra a vitória das tropas do protestante Guilhermo de Orange sobre os exércitos leais ao rei católico Jaime II, em 1688, e sempre é motivo de conflitos porque atravessa um bairro da comunidade católica. Nas últimas semanas grupos favoráveis à manutenção da região sob domínio britânico realizaram vários atentados com bomba contra famílias católicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.