Renúncia não causará volatilidade no petróleo, diz Rússia

O primeiro-ministro da Rússia, Mikhail Kasyanov, disse não prever volatilidade no mercado global de petróleo em virtude da renúncia do presidente da Venezuela Hugo Chávez. Kasyanov acrescentou que nenhuma mudança imediata na política de exportação de petróleo russa está sendo planejada. Ele disse não haver necessidade de acelerar os planos para revisão do acordo da Rússia com a Opep, segundo o qual o país concordou em manter sua produção reduzida em 150 mil barris por dia até o fim do segundo trimestre. O governo russo afirmou na semana passada que revisaria o acordo em meados de maio, em consequência da forte elevação dos preços de petróleo provocada pela ofensiva de Israel na Cisjordânia.Leia tudo sobre a crise na Venezuela

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.