Renzi é empossado formalmente como premiê italiano

Matteo Renzi, líder do Partido Democrático, foi formalmente empossado como primeiro-ministro da Itália. A posse encerra a mais recente tensão política na Itália, que já teve outros dois premiês desde as eleições legislativas inconclusivas do ano passado. Renzi assume o cargo após Enrico Letta, também do Partido Democrático, perder o apoio dos partidários por não conseguir retirar o país da crise econômica e renunciar na semana passada.

AE, Agência Estado

22 Fevereiro 2014 | 08h37

Renzi, de 39 anos, se comprometeu a transformar a economia e a política da Itália com um ambicioso programa de reformas para os primeiros cem dias no cargo. "Nosso objetivo é fazer imediatamente as coisas que precisam ser feitas", disse ontem, após informar ao presidente da Itália, Giorgio Napolitano, que havia conseguido apoio suficiente para formar uma coalizão de governo.

Ontem, Renzi nomeou o economista-chefe da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Pier Carlo Padoan, para ser ministro da Economia e o comando do Ministério de Relações Exteriores ficou com Federica Mogherini.

O principal teste para o novo governo será conseguir os votos de confiança na Câmara e no Senado, o que deve ocorrer na tarde de segunda-feira. A expectativa é de que ele conquiste ambos, tendo em vista o apoio do seu Partido Democrático, o maior da Itália, e de outros partidos menores.

O novo primeiro-ministro terá de enfrentar como desafio uma taxa de desemprego de 40% entre os jovens, o baixo crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em meio a uma economia quase estagnada, a corrupção e uma dívida pública de 1,6 trilhão de euros. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
ItáliapremiêRenzi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.