Réplica de 6,1 graus atinge capital da província de Sichuan

Epicentro do terremoto de segunda está localizado nesta província, no distrito de Wenchuan

Efe,

13 de maio de 2008 | 06h29

Uma forte réplica de 6,1 graus na escala de Ritcher atingiu nesta terça-feira,13, Chengdu, a capital da província de Sichuan. O epicentro do terremoto de segunda-feira foi localizado em Wenchuan, distrito desta província. Veja também:De Pequim, Cláudia Trevisan fala sobre o terremoto Japão e UE oferecem ajuda às vítimas de terremoto na ChinaAjuda chega ao epicentro do terremoto na ChinaJovens soterrados por terremoto na China 'gritavam por ajuda'Bush oferece ajuda às vítimas de terremoto na ChinaPremiê chinês pede 'calma, confiança, coragem e organização' Fotos do terremoto  Caminho da tocha pode ser mudado após terremoto na ChinaVídeo com imagens do terremoto  As primeiras equipes de resgate chegaram ao epicentro na madrugada desta terça-feira. As difíceis condições meteorológicas, com chuvas que devem durar vários dias, complicam os trabalhos de resgate de milhares de desabrigados pelo terremoto registrado na segunda-feira na zona montanhosa da província sudoeste chinesa de Sichuan. Quatro helicópteros militares que tentaram na madrugada passada aterrissar em Wenchuan se viram obrigados a retornar a Chengdu, capital da província. Em estado de choque e muito nervosas pelo maior terremoto das últimas três décadas na China, famílias inteiras passaram a noite ao ar livre, apesar da chuva e do frio. O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, que é geólogo, pediu calma à população enquanto se dirigia a Wenchuan em um avião, já que as estradas estão bloqueadas por causa do deslizamento de rochas e de terras. "Compatriotas chineses, perante este desastre tão severo, necessitamos calma, confiança, coragem e organização", afirmou. Wen Jiabao viajou à região para assumir os trabalhos de resgate dos atingidos pelo terremoto. "Superaremos o desastre se a população e as forças armadas trabalharem juntas sob a liderança do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCCh) e do Governo", manifestou.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.