Réplicas de tremor ferem 63 e destroem 420 mil casas na China

Até o momento, terremoto de 12 de maio já deixou 67.183 mortos, 20.790 desaparecidos e 361.822 feridos

Efe,

28 de maio de 2008 | 01h43

As duas réplicas de 5,4 e 5,7 graus de magnitude na escala aberta de Richter registradas nesta terça-feira na província sudoeste chinesa de Sichuan deixaram 63 mortos e 420 mil casas desmoronadas, informou a agência de notícias Xinhua.  As duas réplicas foram mais sentidas no distrito de Qingchuan, epicentro de outra réplica de 6,4 graus de magnitude registrada no domingo passado, e em Ningqiang, na província noroeste de Shaanxi, segundo os dados da Rede Nacional Sismológica da China. Mais de um milhão de casas ficaram destruídas desde a réplica de domingo em Qingchuan. Além disso, 15.453 pessoas ficaram feridas no distrito desde 12 de maio, quando aconteceu o potente terremoto de 8 graus de magnitude que sacudiu o sudoeste chinês. A situação pode piorar ainda mais nessa região da China com a chegada das chuvas de verão, que ameaçam inundar uma área habitada por mais de um milhão de pessoas que já sofreram os efeitos do tremor. O número de vítimas da tragédia não pára de crescer desde 12 de maio, e o balanço atual é de 67.183 mortos, 20.790 desaparecidos, 361.822 feridos e 45 milhões de desabrigados.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.