Repórter da Time detido em caso envolvendo a CIA

Um juiz federal deteve um repórter da revista Time por desacato. Ele se recusou a testemunhar numa investigação sobre o vazamento da identidade de um agente secreto da CIA para a imprensa. Em ordem emitida no dia 20 de julho mas só tornada pública hoje, o juiz Thomas F. Hogan decidiu que o jornalista da Time Matthew Cooper e o apresentador Tim Russert, do programa ?Encontro com a Imprensa?, eram obrigados a testemunhar sobre ?supostas conversas mantidas com uma autoridade específica do Poder Executivo?.A rede de TV NBC emitiu declaração dizendo que Russert já foi entrevistado por promotores públicos. A entrevista foi sobre uma conversa mantida pelo apresentador com Lewis "Scooter" Libby, chefe de gabinete do vice-presidente Dick Cheney. A Time e Cooper, no entanto, recusaram-se a conversar com os promotores e vão apelar, segundo o editor Jim Kelly. Se a Time perder a apelação, Cooper poderá ficar preso até aceitar falar e a revista poderá sofrer multa de até US$ 1.000 por dia de desobediência.A investigação em curso trata do vazamento, para o jornalista Robert Novak, da identidade da agente da CIA Valerie Plame. Divulgar a identidade de um agente secreto pode ser considerado crime. A identidade de Plame foi revelada na coluna de Novak no ano passado, uma semana depois de o marido dela, embaixador Joseph Wilson, ter publicado um artigo criticando o presidente George W. Bush.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.