Repórter introduz ´bomba´ no Parlamento britânico

Um repórter, com documentos falsos, introduziu no Parlamento britânico equipamentos para montar uma bomba sem ser detectado pela segurança, anunciou o tablóide The Sun, no dia seguinte à ruidosa invasão do plenário por um grupo de ativistas que defendiam a legalidade da caça à raposa."Isso confirma todos os meus temores", disse o líder do governo, deputado Peter Hain. "The Sun acaba de prestar uma inestimável colaboração a esta Casa ao expor o amadorismo e uma velha cultura, que representam uma ameaça à verdadeira cabine de comando de nossa democracia", afirmou o parlamentar.O repórter Anthony France trabalhou durante três semanas no Palácio de Westminster (sede do Parlamento) sem ser revistado ou interrogado pela guarda responsável pela proteção dos deputados. Ele transportou para o interior do prédio baterias, arame, fios, relógio e massa plástica. "Nada disso foi detectado", disse. France documentou sua façanha com fotos. Numa delas, ele aparece servindo chá ao vice-primeiro-ministro John Prescott.O interior do Palácio de Westminster é vigiado desde 1415 por uma corporação, os Sargentos em Armas, cujos integrantes estão armados apenas de uma espada. Como nos dias de Henry V, a principal funções dessa unidade é distribuir acomodações para os parlamentares e cuidar da limpeza do plenário. À polícia, com agentes fortemente armados, cabe vigiar o portão, os visitantes e operar o detetor de metais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.